Postagens

Amor e Monstros

Imagem
Nota: 7/10 O filme protagonizado pelo astro Dylan O' Brien ( Maze Runner ) é uma aventura descontraída e para toda a família, uma surpresa agradável num ano fraquíssimo para o cinema como foi o de 2020, e de quebra um filme que carrega algumas similaridades com a época em que estamos vivendo, como estarmos sendo praticamente obrigados a nos manter em isolamento. Uma anomalia genética fez com que os insetos se transformassem em monstros gigantescos, e eles causaram uma destruição tremenda na Terra, obrigando os poucos humanos que sobraram a viver escondidos. Joel (O' Brien) perdeu sua família e agora reside numa comunidade isolada. O rapaz descobre que sua namorada, a única que sobrou de seu passado, ainda está viva e mora há cerca de 150 quilômetros de distância dele. Apesar de estar relativamente mais seguro em sua comunidade do que se arriscando lá fora, Joel prepara-se para uma longa jornada para reencontrar o seu amor. O filme começa com uma proposta simples, que já estamos

Palmer

Imagem
Nota: 7/10 Palmer é aquele típico filme que você não dá nada quando começa a assistir, pensando que vai ser mais do mesmo; mas consegue comover e envolver o espectador, bem como mostra uma boa performance do cantor Justin Timberlake atrás das câmeras! Um erro na minha opinião foi que algumas cenas facilmente descartáveis subiram a classificação do longa, que podia muito bem ser indicado para toda a família, não fosse por isso. Depois de passar mais de dez anos na cadeia, Palmer (Timberlake) volta para casa e começa a morar com sua avó, Vivian (June Squibb). Encontra dificuldades para arrumar um emprego na pequena cidade onde mora, e ainda tem de enfrentar o preconceito das pessoas pelo fato de ser um ex-presidiário. Mas aos poucos o homem vai se encontrando novamente, e conhece uma mulher que possui problemas com drogas e não cuida de seu filho como deveria. Palmer começa então a desenvolver uma forte amizade com o garoto, procurando ajudá-lo e também sendo ajudado no percurso.  Palmer

Lego Batman: O Filme

Imagem
Nota: 7,3/10 Bruce Wayne (Will Arnet) é um multimilionário recluso e solitário, que mora apenas com seu mordomo, Alfred (Ralph Fiennes). Mas Bruce esconde um grande segredo: na maior parte do tempo, ele assume a alcunha de Batman, vestindo um traje preto e lutando contra vários criminosos na corrupta cidade de Gotham. Mas apesar de Bruce estar acostumado a trabalhar sozinho, desta vez ele terá que unir forças com um assistente, chamado Robin (Michael Cera), e a filha do comissário Gordon, Barbara (Rosario Dawson) para impedir um de seus maiores inimigos de dominar a cidade: o Coringa. The Lego Batman Movie, 2017, 1h44m. Dirigido por Chris McKay, com Will Arnet, Michael Cera e Rosario Dawson.

Fúria Incontrolável

Imagem
Nota: 6,4/10 Apesar da premissa pouco criativa e dos furos de roteiro, a atuação de Russell Crowe consegue segurar Furia Incontrolável e ainda torná-lo um entretenimento regular. O ganhador do Oscar brilha na produção de baixo orçamento com seu vilão implacável e compulsivo, e a tensão aumenta em algumas cenas de forma inesperada, surpreendendo o espectador. Rachel (Caren Pistorius) é extremamente ríspida com um desconhecido (Russell Crowe) no trânsito. Mas o que ela não imaginava é que arrumou confusão com um homem extremamente instável e violento, e resolve começar a descontar todo o seu ódio sobre Rachel e todas as pessoas próximas a ela. Unhinged, 2020, 1h30m. Dirigido por Derrick Borte, com Russell Crowe, Caren Pistorius e Gabriel Bateman.

O Código

Imagem
Nota: 6,8/10 Gostei de O Código pois tem uma ação bem construída, o astro Jason Statham dando muita porrada, e uma história que, embora previsível (o herói protegendo uma pessoa indefesa), é bem desenvolvida. Mei (Catherine Chan) é uma garotinha que teve toda a sua família morta de forma brutal, mas foi salva de um subsequente sequestro pelo ex-policial Luke (Jason Statham). Ela possui uma combinação numérica valiosíssima gravada em sua memória, e se torna motivo de perseguição da máfia russa e chinesa, e até da polícia corrupta de Nova York. Agora, Luke terá que protegê-la com as próprias mãos, enquanto começa a descobrir que uma das gangues de criminosos ajudou a destruir sua família. Safe, 2012, 1h34m. Dirigido por Boaz Yakin, com Catherine Chan, Jason Statham e Chris Sarandon. 

O Caçador

Imagem
Nota: 7/10 O Caçador é um filme cruel, impiedoso e diria que até um pouco exagerado; mas há algo místico nele que faz com que o espectador queira assistir até o final. É mais do cinema coreano obrigatório, como Eu Vi o Diabo e  Old Boy : violência sufocante, tensão crescente e muitos plot-twists no enredo.  Joong-ho (Kim Yoom-seok, numa atuação madura)  é um ex-policial que decidiu tocar a vida como cafetão. Quando algumas de suas prostitutas começam a desaparecer misteriosamente, Joong-ho resolve ir fundo na investigação e acaba por se encontrar numa caçada contra um impiedoso assassino. O filme vale a pena, ainda mais para quem curte cinema coreano como eu.  Chugyeokja, 2008, 2h05m. Dirigido por Hong-jin Na, com Kim Yoom-seok, Jung-woo Ha e Yeong-hie Seo

Artista do Desastre

Imagem
Nota: 8,5/10 Thomas Wiseau é um aspirante a ator que foi vilão a vida inteira. Ele queria ser herói. O mocinho da vez. Segundo ele mesmo, já estava cansado de ser traído por todos: seus amigos, desilusões amorosas... Estava na hora de mostrar ao mundo o seu potencial... Só que não. Como dinheiro não era problema, ele resolveu ir com seu melhor amigo até um estúdio, contratar uma galera e começar a rodar um filme escrito, dirigido e protagonizado por ele. A história? Fala sobre um homem que leva uma vida confortável, tem uma bela esposa, mas que o trai com o seu melhor amigo. Nada original. Parece até com a própria vida dele, já que ele se diz traído por tudo e por todos. O tal filme custou em torno de 6 milhões de dólares, foi chamado de The Room e lançado em 2003, e é considerado por muitos o pior filme já feito. O resultado em bilheterias foi um tremendo fracasso. Principalmente por ser um filme totalmente B e pelas atuações nada convincentes de Wiseau. Mas o que ninguém esperava é q