Uma Razão Para Viver



Nota: 8/10
Uma Razão para Viver é uma história real que nos mostra que o verdadeiro amor é capaz de superar o insuperável. É um filme comovente, mas também muito divertido. Foi feito através das memórias do filho do casal, Jonathan, então se prepare para enxugar as lágrimas enquanto também solta algumas risadas.
Década de 50. Robin Cavendish (Andrew Garfield) é um carismático comerciante inglês que conhece a bela Diana Blacker (Claire Foy) num jogo de críquete, e é amor à primeira vista. Ele começa a galantear a moça e conhecê-la melhor, até que acabam por se casar, em 1957.
Eles eram tão unidos, que Robin viajava à negócios para a África e Diana fazia questão de acompanhá-lo. Ainda recém-casados, ela descobre que está esperando um bebê, o que enche o casal de alegria.
Porém, no ano seguinte a seu casamento, algo totalmente inesperado acontece: Robin adquire poliomielite, uma doença irreversível que o deixa tetraplégico, e que leva os médicos a orientarem sua esposa que ele não tem mais do que poucas semanas de vida.
Paralisado numa cama e respirando com o auxílio de máquinas, Robin pede para que Diana pare de visitá-lo no hospital onde ele fica de modo permanente e siga com sua vida. Mas não é isso o que ela faz. Ela quer que Robin conheça seu filho, e faz de tudo e dá todo o suporte para que o marido saiba que ela estará ali por ele, até o fim. Devido ao amor inabalável​ de sua esposa, Robin não desiste de viver e começa a sobrepujar os limites impostos pela doença e pela própria medicina, mudando até mesmo o modo que pessoas com pólio eram tratadas naquela época.
Lindo filme, com Andrew Garfield mais uma vez mostrando que é um dos melhores atores de sua geração.

"Breathe", 2017, 1h 58m.
Dirigido por Andy Serkis, com Andrew Garfield ("Até o Último Homem"), Claire Foy (série "The Crown") e Hugh Bonneville.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bastardos Inglórios

Senna

Dois Papas