Assassinato às cegas

Crítica: Assassinato às Cegas (2018, de Sriram Raghavan) | Minha Visão do  Cinema
Nota: 8,5/10
Assassinato às Cegas é uma grata surpresa! Um filme indiano com sacadas espertas, frenético, divertido, e com um plot-twist de dar inveja. É interessante como o diretor do longa, Sriram Raghavan, que também assina o roteiro, brinca e assusta o espectador conforme ele estreita sua conexão com o protagonista, e como cria um suspense que fica cada vez mais contundente conforme os minutos passam, nos mostrando que não podemos confiar em nada nem em ninguém: nem muito menos piscar, pra não perder nada. Com 100% de aprovação no Rotten Tomatoes e na lista dos 250 melhores filmes segundo os usuários do IMDB, este filme indiano merece ser visto! Destaco as atuações do trio principal (o par romântico e a vilã), que não deixam a trama cair e ajudam a mantê-la em alto nível apesar de suas várias reviravoltas, e como o roteiro entrelaça o clima de tensão ao humor, entregando uma experiência satisfatória. Nas poucas cenas em que se fez necessário, os efeitos visuais do filme deixam a desejar, é verdade. Mas é necessário relembrar que se trata de uma produção de baixo custo, e na realidade não desabona em quase nada o restante do filme.
Na história, conhecemos um pianista cego que esteve na cena de um crime. Mesmo sem tecnicamente saber de nada, ele suspeita do local e das pessoas onde esteve, e decide dar queixa na polícia. Mas as coisas só começam a se complicar na vida do deficiente visual depois do incidente, pois a partir daí ele irá se envolver numa rede de mentiras, sujeira e alienação. 

Andhadhun, 2018, 2h19m. Dirigido por Sriram Raghavan, com Ayushmann Khurrana, Tabu e Radhika Apte.



  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bastardos Inglórios

Senna

Como Treinar o Seu Dragão 3